quarta-feira, 28 de outubro de 2015

# Artigos # Privacidade online

Privacidade Online

O meu novo artigo para o Repórter Sombra questiona se, de facto, haverá privacidade online. 

«Quando falamos em Internet não podemos deixar de ter em mente a questão da privacidade online. É certo que todas as nossas contas são protegidas por uma palavra-chave, mas será isso suficiente? Será isso impedimento para que invadam a nossa privacidade?
É claro que o facto de termos credenciais que nos permitem ser os únicos a ter acesso aos nossos próprios conteúdos nos acalma, mas, infelizmente, não é suficiente. Atualmente, é cada vez mais fácil conseguirmos corromper a privacidade de alguém sem que essa pessoa esteja à espera e é por esse motivo que devemos ter o máximo cuidado com os dados que revelamos, ou com o que dizemos sobre nós.
Quando falamos neste tipo de crimes, a nossa mente remete imediatamente para os casos de pedofilia, onde as pessoas, através de perfis de Facebook falsos, conseguem descobrir a nossa rotina, ou marcar encontros connosco, a partir de uma identidade falsa. Porém, existem muitos outros crimes para além deste. O facto é que uma simples compra na Internet, por exemplo, pode ser fulcral para uma fraude. É extremamente fácil, através de dados que divulgamos, por acharmos inofensivos chegarem até aos nossos dados mais privados e roubarem-nos o que quiserem. É necessário certificar-mo-nos de que não estamos a fornecer nenhuma informação que nos comprometa.
Se é fácil invadirem a nossa privacidade na Internet, talvez a culpa não seja tanto de quem a invade, mas principalmente nossa. Nós partilhamos constantemente fotografias que revelam o que estamos a fazer, onde estamos, onde estudamos. Se juntássemos todas as fotos que colocamos nas redes sociais numa sequência, rapidamente concluiríamos que toda a nossa vida está lá, para que toda a gente a possa ver. Isso é ter privacidade? Precisamos mesmo de partilhar com o mundo que recebemos o nosso primeiro salário? Precisamos de mostrar o nosso carro novo, ou a nova compra que nos fez tão felizes? Precisamos de partilhar com todos os sítios que frequentamos?

Cada vez mais as pessoas têm tendência a revelar mais sobre a sua vida do que deveriam. Não se limitam a partilhar apenas com as pessoas em quem confiam, mas com toda a gente que tenha acesso às suas redes sociais. Isso não será um atrativo para que invadam a sua privacidade?»

O artigo já está disponível e publicado aqui.   


10 comentários:

  1. Realmente,ter privacidade nas redes sociais está ficando cada vez mais difícil.
    Beijas,
    http://mundoperdidodacarol.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  2. oiiee , entao te marquei em uma tag e espero anciosamente por sua participaçao , assim que responder a tag me manda o link pra eu conferir bjkkss..

    http://alinepriscila.blogspot.com.br/2015/10/tag-complete-frase.html

    ResponderEliminar
  3. Concordo com certas coisas no texto, é verdade que hoje em dia a partilha da nossa vida é cada vez mais, mas há uma linha que distingue as pessoas que partilham coisas que não tem mal nenhum e outras que expõe relações e coisas mais intimas, há que saber separar que a Internet é um meio de partilha de opinião, gostos e por aí e não de vida pessoal :)
    with love, KATE ❤

    ResponderEliminar
  4. Hoje em dia quase que não há privacidade nenhuma nas redes sociais!

    Blog / Facebook / Instagram

    ResponderEliminar

Até logo, Diamond!

Obrigada pela visita!
Volta Sempre :)