sexta-feira, 29 de julho de 2016

# Cultura # Filmes

Opinião: «Inside Out»


Inside Out é um filme de animação de 2015 produzido pela Pixar Animation Studios e lançado pela Walt Disney Pictures.

Este é, sem dúvida, um dos melhores filmes de animação que já vi. A história passa-se na mente de uma menina -que podia ser qualquer um de nós. Nessa mente temos as emoções (neste caso a alegria, a tristeza, o medo, a raiva e o nojo) e o que estas emoções fazem é conduzir a vida da menina. Tudo está perfeito até que os pais da menina decidem mudar de cidade. A alegria tenta ajudar a menina a sentir-se melhor com essa mudança mas a tristeza destrói todas as suas boas memórias e faz com que a menina se vá isolando cada vez mais. A raiva, o nojo e o medo tentam consolar a menina mas acabam por fazê-la distanciar-se cada vez mais dos pais e dos amigos, levando-a mesmo a fugir de casa. A alegria faz de tudo para ajudar a menina e restaurar todas as suas boas memórias mas sem sucesso. Riley tinha perdido tudo. A escola, os amigos, o desporto e até a família. Deixou tudo para trás e todas as suas boas memórias foram postas de parte entrando num total estado de solidão que a alegria não conseguiu restaurar. O mais curioso é que a Riley foi salva mas não pela alegria como qualquer um de nós pensaria. Quem a salvou foi a tristeza. A tristeza reinstalou as memórias base na mente de Riley, o que fez com que ela voltasse a casa. Assim que vê os seus pais, começa a chorar confessando-lhes que sente falta da antiga casa e que não suporta estar ali. Os seus pais confortam-na e, juntas, a alegria e a tristeza criam uma nova memória para a menina a partir daquele momento. Um momento que deveria ser triste mas que se tornou feliz. 
A conclusão mais clara que tirei deste filme é que, ao contrário do que muita gente pensa, a tristeza não é uma coisa má. Aliás, a tristeza é a emoção mais necessária de todas. Sem tristeza não haveria alegria, essa emoção que todos nós procuramos. A tristeza é essencial em todos os campos. É ela que nos move. É ela que nos faz levantar e voltar atrás quando estamos prestes a cometer erros. É ela que nos torna mais fortes e, acima de tudo, é ela que molda a nossa personalidade. A alegria é o sentimento que mais desejamos e isso não significa nunca que este seja o mais importante. É aquele que nós queremos sentir e o que procuramos o tempo todo, só isso. Mas se não fosse a tristeza nós nunca conseguiríamos encontrá-lo. Por isso é que não acho correto negarmos a tristeza, talvez ela seja demasiado essencial para não ser sentida de vez em quando.
Isto para vos dizer que este filme é daqueles que mais me fez refletir até hoje e tenho a certeza que vai chegar ao coração de cada um de vós. Depois de o ver, ganhei uma visão completamente diferente acerca da mente humana e da forma como lidamos com as nossas emoções. Aliás, agora acho que não somos nós quem lida com as emoções. Elas é que lidam connosco. O nosso trabalho é apenas saber ouvi-las e seguir os conselhos que elas nos dão quando percebem o que é o melhor para nós. Nunca as devemos culpar por nada do que aconteça connosco porque se aconteceu é porque foi necessário. E se foi necessário, vai fazer-nos bem em algum momento da nossa vida.

Já viram o filme, internautas?
O que acharam? :)

4 comentários:

  1. Fiquei curiosa, assim que puder quero ver sem dúvida,beijokas gostei muito :)
    ❤ Célia Santiago
    Diário Feminino
    FacebookInstagramYouTube

    ResponderEliminar
  2. Ainda não o vi, mas todas as críticas que li/ouvi foram bastante positivas!

    ResponderEliminar
  3. Cátia, tudo bem?!
    Sou apaixonada por esse filme, quem criou ele pra mim é um gênio!
    Acredito que não só as crianças, mas os adultos principalmente precisam assistir Inside Out, pois muitos de nós escondemos nossos sentimentos o que é algo muito prejudicial.
    Beijos!
    http://asassecretas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar

Até logo, Diamond!

Obrigada pela visita!
Volta Sempre :)