segunda-feira, 26 de junho de 2017

# Canário # Livros

«Canário», Rodrigo Guedes de Carvalho



Há uns meses, iniciei a leitura do livro Canário, de Rodrigo Guedes de Carvalho. Só agora a consegui terminar e decidi partilhá-la com vocês. 
Sempre admirei o Rodrigo enquanto profissional. Aliás, ele é, em parte, um dos motivos para este desejo de ser jornalista ter nascido em mim. Portanto, já conhecia o seu talento enquanto jornalista e já via nele um dos seres humanos mais admiráveis do País. Mas ainda não conhecia o seu lado de escritor. Sempre tive a curiosidade de ler algo escrito por ele, mas nunca me tinha aventurado. No entanto, há uns meses atrás decidi fazê-lo. E só vos posso dizer que não me arrependi. 
A verdade é que Canário é, para mim, o ponto de partida para mais leituras destas. Adorei o livro e adorei, acima de tudo, a forma como o Rodrigo consegue dizer as coisas de forma fria, sem deixar escapar nada: seja bom ou mau. 
O livro cruza três histórias sendo que, na minha opinião, o objetivo é retratar o que é viver em família. De um lado, um homem que está preso por matar o namorado da mãe. Do outro, um escritor que trai a mulher e acaba por descobrir que o preso é, afinal, o seu filho. E, por fim, um casal cujo casamento termina pelo facto de o seu filho ser autista. O Rodrigo vai relacionando estas histórias de uma forma absolutamente incrível e eu adoro isso nele. 


No que diz respeito à linguagem, penso que nem sempre é fácil perceber aquilo que o escritor quer, realmente, escrever. O Rodrigo não usa a pontuação "corretamente", ou seja, não existem hifens para definir os diálogos. São raros os pontos finais e, geralmente, as frases são corridas apenas com a presença de vírgulas. Ou seja, o trabalho de ler e interpretar tem de ser nosso. Somos nós quem temos de desvendar cada frase, cada vírgula e cada parágrafo. Principalmente quando aparece a personagem de Geraldo (o preso). Ele é o canário da história e, por isso, a escrita define logo quais os capítulos que lhe estão relacionados e nós encontramos a explicação para isso dentro do livro, basta estarmos atentos. 


Por fim, para além do escritor, a outra coisa que me chamou à atenção neste livro foi o título. O título e a imagem de capa deixaram-me bastante curiosa quanto ao que estaria dentro daquele livro. E depois de perceber que havia um depoimento de alguém numa prisão na primeira pessoa fiquei ainda mais curiosa. "Será que vai falar de tudo o que se passa na prisão?", "Será que trata mais um amor impossível?", muitas perguntas colocaram-se na minha cabeça. Agora, estão todas respondidas e, sinceramente, adorei o desfecho do livro. Não pensei que terminasse daquela forma e adoro finais que me surpreendem.
Posto isto, acho que já perceberam que o Rodrigo Guedes de Carvalho foi a minha companhia nos últimos meses e mal posso esperar para ler um próximo livro dele.



E vocês, o que andam a ler?
Já tinham ouvido falar deste livro?




14 comentários:

  1. Gostei da sinopse, mas ainda não li nada dele. Gostei das tuas unhas ;)

    XOXO
    http://diamonds-inthe-sky.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Ia adorar ler essenlivro sem dúvida!

    Beijinhos 🖤
    www.pirilamposemarte.com

    ResponderEliminar
  3. Considero que o Rodrigues Guedes de Carvalho é um profissional como há poucos. Uma referência, sem qualquer dúvida. Contudo, a sua vertente de escritor também desconheço, mas deixaste-me curiosa com este livro!

    r: Uma novidade fantástica! Ontem ainda fui à procura deles fnac, mas não os encontrei :/

    ResponderEliminar

Até logo, Diamond!

Obrigada pela visita!
Volta Sempre :)